• Facebook Clean
  • Instagram Clean

© Associação Zagaia Amazônia 2016

A CADEIA DO PESCADO NA AMAZÔNIA E AS NOVAS ESTRATÉGIAS DE NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS

8 Sep 2016

 

A pesca na Amazônia é uma das atividades mais importantes para seus habitantes e serve como fonte de alimento e renda para grande parte da população, especialmente os ribeirinhos. Cerca de 761 famílias da reserva de Mamirauá residem as margens dos rios e vivem dessa atividade. É difícil determinar com precisão o potencial pesqueiro na Amazônia, que inclusive é fonte de muitos estudos pelas universidades locais.  Sobre o cenário de produção e comercialização, a pesca segue procedimentos inteiramente artesanais, há oferta e demanda para uma diversidade de espécies, porém, os recursos pesqueiros são trabalhados por diferentes usuários, são utilizadas inúmeras estratégias de pesca e há comportamentos variados em relação aos recursos e ao ambiente.

 

Se analisarmos com uma visão sustentável, encontraremos mais dificuldades ainda para desenvolver esse mercado, onde há grande cadeia de intermediários e atravessadores, dificuldades para reunir os pescadores em associativismo, escoamento da produção precário, pouca ou quase nenhuma captação de subprodutos (couro e escama), inexistência de controle financeiro, falta de determinação de custos com a atividade e o acesso restrito aos mercados formais.

 

Pensando nisso, o Sebrae Amazonas firmou parceria com a Associação Zagaia Amazônia para produzir um evento que pudesse apresentar o que está acontecendo no Brasil em diversas cadeias prioritárias. É o Diálogos Criativos.

 

O que é o Diálogos Criativos?

 

Trata-se de um ciclo integrado e interativo de palestras que englobam temas sobre mercado, inovação e desenvolvimento de novas tecnologias, turismo, gastronomia, moda e artesanato. No evento, vamos contar com a experiência de várias personalidades para colaborar com o Mercado local, oferecendo aos empreendedores uma visão sobre o comportamento do Mercado e, ao mesmo tempo, promover a construção de uma linha de ação mais contundente, aliando o seu negócio à dinâmica da Economia Criativa.

 

Os temas são de interesse das Comunidades em áreas das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) e da sociedade em geral com foco na geração de Negócios Sustentáveis na Amazônia. Essas áreas abrigam populações tradicionais que desempenham um papel preponderante na proteção da natureza e na manutenção da diversidade biológica. Especificamente sobre a cadeia do pescado, o Diálogos Criativos contará com facilitadores como Nina Braga, do Instituto-E e Paulo Amaury, da Nova Kareu.

 

Para se ter ideia do nível desses facilitadores, o Instituto-E, por meio do projeto Traces (Pirarucu - www.institutoe.org.br/projetos/traces/), tem um trabalho incrível com a utilização do couro do pirarucu para ser utilizado como matéria-prima na fabricação de bolsas e roupas para a grife Osklen. A empresa é reconhecida a nível internacional por suas peças com uso de materiais inovadores e sustentáveis.

 

A Nova Kaeru, representada por Paulo Amaury, atua no setor de couros exóticos brasileiro e ganhou o prêmio de melhor couro exótico (Best of APLF 2012 AWARDS) da maior Feira Mundial do setor, realizada em Hong Kong. A experiência de mercado e inovação acrescentará muito para novas alternativas comerciais para as comunidades.

 

Dentro do que vimos no início deste texto, ações direcionadas são fundamentais para propor soluções plausíveis dentro da realidade amazônica. O projeto foca nas oportunidades no Mercado e na Inovação com estratégias para Negócios Sustentáveis, tanto que os encontros serão realizados com a participação de entidades voltadas para atender todas as categorias. Com eventos como esse, é possível desenvolver estratégias para assegurar a sustentabilidade dos recursos pesqueiros amazônicos, além de manter o foco social e econômico.

 

 

 

Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Tags
Please reload