+55 92 3584-6770

Rua Rio Purús, 21, Quadra 03, Nossa Sra. das Graças, Manaus - AM, 69053-050

© Associação Zagaia Amazônia 2016

Diálogos Criativos 

Negócios Sustentáveis na Amazônia

A fim de proporcionar um bate-papo entre empreendedores das cadeias produtivas da biodiversidade na Amazônia e profissionais experientes no mercado brasileiro, a Zagaia promoveu, em 2016, o evento Diálogos Criativos – Negócios Sustentáveis na Amazônia. Um encontro que ofereceu ciclos integrados e interativos de palestras que discutiram temas sobre mercado, inovação e desenvolvimento de novas tecnologias, turismo, gastronomia, moda e artesanato. O evento foi em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável – FAS, apoiados pela Newton Fund, British Council, Bradesco, Fundo Amazônia, SAP e SEBRAE Amazonas.

Foi um ótima oportunidade para os empreendedores ribeirinhos da Amazônia profunda, atuantes nas cadeias produtivas do Pirarucu, Açaí, Grãos, Gastronomia, Turismo e Artesanato trocarem ideias com profissionais experientes nos segmentos onde atuam. Essa troca entre universos mercadológicos possibilitou uma visão holística do Mercado, promovendo assim a construção de uma linha de ação estratégica em seus negócios, observando a dinâmica da Economia Criativa e a possibilidade de parcerias e negócios futuros para estas lideranças comunitárias das Reservas de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia.

 

Os encontros aconteceram nos dias 09, 10 e 11 de novembro de 2016, no auditório da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), e contou com três eixos temáticos: Mercado e Inovação, Artesanato e Moda, Gastronomia e Turismo.

ESTIMULANDO O POTENCIAL DA PRODUÇÃO RIBEIRINHA

Os diálogos foram pensados para potencializar e profissionalizar os diversos setores da região amazônica, por exemplo: 

CADEIA DA PESCA

Possui grande demanda alimentar da população, porém, é sondado constantemente por setores de moda para aproveitamento do couro do peixe para a confecção de roupas e acessórios. Com isso, é preciso que o empreendedor conheça e compreenda como funciona essa nova possibilidade de negócio e onde ele se encaixa. Para dialogar com os produtores desta cadeia, representantes da Nova Kaeru, do Instituto -E Nina Braga Projeto Traces ( Pirarucu) e Mar Terra foram chamados.

CADEIA DO ARTESANATO

Existe uma necessidade do nosso produto artesanal se tornar mais competitivo no mercado, atendendo padrões estéticos sem perder sensibilidade das referências e identidade local. Atualmente, é de grande valia a participação do Designer nessa produção artesanal para posicionar o produto, atender demandas ou criar novas, reduzir custos e agregar valor ao produto, resultando no aumento das vendas e beneficiando o próprio artesão. Para dialogar com os produtores desta cadeia, chamamos representantes do Instituto E apresentando o projeto e-Ayiti, uma parceria entre o Internacional Trade Center (ITC) - agência das Nações Unidas, Instituto – E e Osklen, que teve como objetivo a promoção de soluções de desenvolvimento socioeconômico por meio de iniciativas de geração de rendas e inclusão social. O Studio Sérgio Matos, do designer de produtos Sérgio J. Matos, artesãos indígenas e líderes comunitários, participantes do Projeto Brasil Original, e Maria Oiticica, amazonense e se dedica a arte de transformar resíduos naturais em peças que misturam o moderno e o clássico.